Anúncios

Operação da PF investiga desvios no antigo Ministério do Trabalho

Operação da PF investiga desvios no antigo Ministério do Trabalho

Operação Help IX da PF combate a distribuição de pornografia infantil na internet
Alexandre de Moraes é alertado sobre um possível ataque terrorista contra ministros do STF
Polícia Federal investiga pagamento de propina para barrar fiscalização da Receita

A Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje a operação Gaveteiro. É investigado um suposto desvio de R$ 50 milhões do antigo Ministério do Trabalho.  São cumpridos pela PF  dois mandados de prisão e 41 de busca e apreensão. Um dos alvos dos mandados de busca é o ex-ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, que atualmente é presidente da Funasa. Outro alvo da operação é Pablo Tatim, ex-assessor do ministro Onix Lorenzoni na Casa Civil. O ex-deputado federal Jovair Arantes, do PTB, também é investigado. A operação está centralizada na B2T, uma empresa da área de tecnologia.

Segundo os investigadores, foi apurado até o momento que a contratação da empresa serviu como subterfúgio para que fossem desviados valores dos cofres públicos. Quem liberou os pagamentos para a B2T foi Mikael Tavares, que foi indicado aos 19 anos pelo PTB ao cargo que lida diretamente com os fornecedores. A PF diz que  entre os anos de 2016 e 2018 foram desviados cerca de R$ 50 milhões do Ministério do Trabalho.

A B2T foi contratada para que prestasse serviços de tecnologia para o antigo ministério. Os mandados são cumpridos no Distrito Federal, Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Os suspeitos poderão responder pelos crimes de peculato, fraude a licitação,  corrupção passiva e ativa, falsificação de documento e organização criminosa.

O Noticiarista entrou em contato com a Funasa pedindo uma posição do presidente do órgão, Ronaldo Nogueira, e aguarda uma resposta.

Authors

Anúncios