Anúncios

Sérgio Camargo pode voltar para a Fundação Palmares

Foto: Reprodução/Facebook

Sérgio Camargo pode voltar para a Fundação Palmares

Bolsonaro diz que trocas de mensagens com miliciano podem ser forjadas
Bolsonaro anuncia novo valor do salário mínimo
30 anos da Obra de Maria, na Arena Pernambuco, com apresentações da Orquestra Criança Cidadã, Luan Santana, Elba Ramalho, Bruno e Marrone, Padre Marcelo Rossi e Padre Fábio de Melo.

O ministro João Otávio de Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça, suspendeu uma decisão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região e retomou a validade da nomeação do jornalista Sérgio Camargo para a presidência da Fundação Cultural Palmares.

A Fundação Cultural Palmares é responsável por promover a cultura afro-brasileira, e a escolha de Camargo para a chefia da entidade gerou polêmica por conta de uma série de publicações que ele fez nas redes sociais relativizando vários temas, como a escravidão.

Camargo chegou a classificar os racismo no Brasil como “nutella” em uma de suas manifestações. “Racismo real exite nos Estados Unidos. A negrada daqui reclama porque é imbecil e desinformada pela esquerda.”, disse em um post.

Noronha atendeu um pedido da Advocacia Geral da União, a AGU. O ministro considerou que o Judiciário invadiu uma competência que cabe exclusivamente  ao Executivo, quando tornou sem efeito a nomeação de Camargo.

“Nesse contexto, não vejo como deixar de reconhecer que a decisão atacada,  pretexto de fiscalizar a legalidade do ato administrativo, interferiu, de forma indevida, nos critérios eminentemente discricionários da nomeação, causando entraves ao exercício de atividade inerente ao Poder Executivo”, despachou.

João Otávio de Noronha ainda disse que o fato de Camargo, “eventualmente, ter-se excedido em manifestações em redes sociais não autoriza juízo de valor acerca de seus valores éticos e morais ou mesmo de sua competência profissional”. “Sobretudo quando se sabe das particularidades que permeiam as manifestações no citado meio virtual, território de fácil acesso e tido como aparentemente livre, o qual, por isso mesmo, acaba por estimular eventuais excessos dos que ali se confrontam”, assinalou.

Hoje pela manhã, o presidente Jair Bolsonaro comentou a liberação da nomeação de Sérgio Camargo pela Justiça. “Ele volta para lá [Fundação Palmares]”. “Eu acho que o garoto que foi liberado ontem é uma excelente pessoa”.

Sergio Camargo, porém não conta com a aprovação de Regina Duarte, que foi indicada para chefiar a Secretaria Especial de Cultura, órgão que abriga a Fundação Palmares. Por meio de interlocutores, a atriz disse que procura por outro nome para a Fundação.

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que faz oposição ao governo de Jair Bolsonaro, disse em uma rede social que vai recorrer da decisão do STJ.

Authors

Anúncios